Sessões de abertura e encerramento foram marcadas pela presença de importantes organizações do setor

Os pronunciamento da cerimônia de instalação da 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária destacaram o significado do evento. O secretário de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo esteve representado pelo presidente da Companhia do Metropolitano, Paulo Menezes. Também representavam as companhias do setor Paulo Magalhães, presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM); Joaquim Lopes da Silva Júnior, presidente da Empresa Metropolitana de Transporte Urbano (EMTU); Harald Zwetkoff, presidente da ViaQuatro, concessionária da Linha 4 – Amarela do sistema metroviário paulistano; Leonardo Villar, superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

O secretário municipal de Mobilidade Urbana e de Transportes de São Paulo, Sérgio Avelleda, falou da emoção, como metroviário, e participar de mais uma edição da Semana de Tecnologia Metroferroviária, ainda mais porque se realizava em dependências da Universidade Paulista (UNIP), instituição da qual foi docente.

Houve menção à presença, no auditório, do engenheiro e consultor Plínio Assmann, conselheiro da AEAMESP, que presidiu a Companhia do Metropolitano de São Paulo na fase crítica de implantação do sistema, nos anos 1970. Assmann acompanhou praticamente todas as sessões da Semana de Tecnologia.

Fábio Romeu, vice-reitor UNIP, instituição em cujas dependências se realizaram as atividades da 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, fez uma retrospectiva histórica do sistema ferroviário brasileiro desde os meados do Século 19, 29 mil km de linhas, operadas por duas mil locomotivas e mais de 30 mil vagões para cargas e passageiros, criticando o abandono de parte considerável dessa malha – três mil quilômetros só no Estado de São Paulo.

O cônsul do Canadá em São Paulo, Stephane Larue, parabenizou a AEAMESP pelo encontro e mostrou o interesse do seu país em investir nos sistemas metroferroviários no Brasil e trazer a experiência de seu país no setor.

Representaram entidades do setor João Gouveia diretor de Operações da SuperVia e diretor da Associação Nacional das Empresas de Transporte de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos); Vicente Abate, presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (ABIFER), Gilberto Beleza, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo/São Paulo (CAU/SP).

O presidente do Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (SIMEFRE), José Antônio Martins queixou-se da crise econômica dos últimos três anos, segundo ele, a pior já vivida pela indústria automobilística no Brasil. Ele convocou os políticos – no evento representado pelo deputado estadual João Caramez – a trabalharem para acelerar a recuperação da economia e desenvolver os sistemas sobre trilhos, em especial o metrô, que qualificou como o melhor meio de transporte para as cidades.

O deputado Caramez é coordenador da Frente Parlamentar em Prol do Transporte Metroferroviário (FTRAM), constituída na Assembleia Legislativa de São Paulo por sugestão feita em plenário da 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, em setembro de 2016. Ele destacou a expansão do sistema metroferroviário, com a recente inauguração de três estações do metrô da Linha 5 – Lilás e a construção da Linha 13 – Jade, da CPTM, entre São Paulo e Guarulhos.

NO ENCERRAMENTO

Participaram e se pronunciaram na sessão de encerramento o deputado estadual João Caramez; o professor doutor Jesuíno Júnior, diretor de Pós-Graduação Lato Senso da Universidade Paulista (UNIP); Jurandir Fernandes, presidente da Divisão América Latina da União Internacional de Transportes Públicos (UITP); Eduardo Lafraia, presidente do Instituto de Engenharia de São Paulo; Jean Pejo, secretário geral da Associação Latino-Americana de Ferrovias (ALAF); João Carlos Gonçalves Bibbo, presidente em exercício do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo; Dionísio Gutierres, vice-presidente de Atividade Técnicas e coordenador técnico da 23 Semana de Tecnologia Metroferroviária; Edson Barbeiro Artibani, presidente de Associação de Engenheiros da Estrada de Ferro Santos a Jundiaí; Luiz Carlos Mantovani Néspoli, superintendente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP); Jefferson Carvalho, vice-presidente da Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (ABRAC); Leandro Silva Batista, do Fórum Pró Metrô Freguesia/Brasilândia, e o professor José Manuel Ferreira Gonçalves, da FerroFrente e coordenador de Pós Graduação em Transportes da UNIP.

Homenagens a profissionais. O presidente da AEAMESP, Pedro Machado, em nome da Associação, homenageou dois profissionais da Companhia do Metropolitano de São Paulo, associados da AEAMESP: a arquiteta Maria Beatriz Barbosa, do Metrô-SP, e o engenheiro Luís Carlos Grillo, hoje atuante na EMTU.

Além de realçar a atuação profissional de ambos, a homenagem sublinhou o apoio efetivo que ambos prestaram à AEAMESP, segundo explicou Pedro Machado: “O engenheiro Grillo foi o responsável por tornar viável a nossa atual sede, na Rua do Paraíso. E a Maria Beatriz, a Bia, foi quem fez o projeto arquitetônico. Muito obrigado a ambos”, disse.

Diploma para a UNIP.  Em nome da AEAMESP, Pedro Machado também homenageou a Universidade Paulista (UNIP), entregando um diploma à instituição através do professor doutor Jesuíno Júnior, diretor de Pós-Graduação Lato Senso. O diploma tem os seguintes dizeres: “Diploma de Reconhecimento. A Associação de Engenheiros e Arquitetos de Metrô – AEAMESP confere à Universidade Paulista – UNIP este Diploma em reconhecimento pelo decisivo apoio concedido à estruturação e organização da 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, contribuindo para o êxito do encontro. São Paulo, 22 de setembro de 2017”.

Instante de silêncio. Um instante de silêncio em homenagem ao engenheiro Raymundo D´Elia Júnior, do Metrô-SP, falecido na madrugada daquele mesmo dia.

Na sessão de abertura, Paulo Menezes, presidente do Metrô-SP; o deputado estadual João Caramez e o presidente da AEAMESP, Pedro Machado. Foto: Mara Siqueira