Em atividade proposta pela AEAMESP, cônsul geral e membros do consulado da Hungria em São Paulo visitam CCO do Metrô-SP e Linha 15–Prata em monotrilho

Na estação Vila Prudente, Wilson Nagy, Alberto Branco, Emiliano Affonso, Samuel Teleki, a consulesa Jelena Teleki, o cônsul-geral Szilárd Teleki, Dionísio Gutierres, o cônsul cultural József Balázs e Luciana Juhas.

Na manhã de 12 de janeiro de 2018, o Metrô SP recebeu a visita do cônsul geral da Hungria, Szilárd Teleki, acompanhado da consulesa Jelena Teleki, do filho Samuel e do cônsul cultural József Balázs, além de Luciana Juhas, da empresa de comunicação corporativa Galeria de Comunicações, que atende o consulado no Brasil.

O grupo conheceu instalações do Centro de Controle Operacional (CCO), situado no próximo à Estação Paraíso, pertencente à Linha 1 – Azul e à Linha 2 –Verde, e o sistema de monotrilho da Linha 15 – Prata.

A possibilidade de realização da visita técnica e de abertura de intercâmbio foi identificada pela AEAMESP e concretizada com a cooperação da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô.

A visita teve a condução dos engenheiros do Metrô-SP Wilson Nagy e Conrado Grava e a participação dos engenheiros Emiliano Affonso, conselheiro da AEAMESP e diretor do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo, e Roberto Berkes, dirigente do Instituto de Engenharia de São Paulo. A AEAMESP esteve representada no encontro pelo vice-presidente de Atividades Técnicas, engenheiro Dionísio Gutierres, e pelo diretor adjunto de Marketing, Alberto Branco.

Em dependência do CCO, a partir da esquerda, Samuel Teleki, a consulesa Jelena Teleki, o cônsul cultural József Balázs o cônsul-geral Szilárd Teleki, Dionísio Gutierres, e o engenheiro Roberto Berkes.

A partir da esquerda, o diretor adjunto de Marketing da AEAMESP Alberto Branco, os engenheiros Emiliano Affonso, Conrado Grava de Souza e Wilson Nagy e a jornalista Luciana Juhas.

Troca de informações e experiências. Antes de comentar o resultado da visita técnica, o cônsul-geral Szilárd Teleki fez questão de agradecer aos dirigentes da AEAMESP pela oportunidade. “Agradecemos aos organizadores, os senhores Dionísio e Alberto, que nos convidaram e acompanharam, possibilitando uma excelente oportunidade de realmente conhecermos o funcionamento do Metrô de São Paulo”, disse.

Sobre a visita propriamente dita, assinalou: “Pudemos confirmar, durante a visita, que o trabalho é feito por profissionais de alta categoria e temos esperança de uma futura colaboração vantajosa para ambos os participantes, entre o Metrô de São Paulo e o Centro de Transporte Público de Budapeste (BKK). Como é de conhecimento público, o primeiro metrô começou a operar em Budapeste em 1896, sendo o 2º da Europa, antecipado apenas pelo metrô de Londres. No entanto, o metrô paulistano fica entre os mais populosos do mundo, havendo, assim, bastante material para troca de informações e experiências”.

O cônsul-geral concluiu, informando que apresentou uma sugestão. “Por parte do Consulado, sugerimos a organização de exposições artísticas, culturais e turísticas sobre a Hungria, nas estações do Metrô-SP, sugestão aceita com simpatia e de bom grado pelos organizadores, a quem renovamos nosso prazer e satisfação por ocasião de tal proveitosa visita.”

Expectativa de frutífera parceria. Em nome da AEAMESP, o vice-presidente Dionísio Gutierres afirmou: “A oportunidade de intercâmbio com novos parceiros é sempre relevante e interessante, em especial quando estamos mostrando a nossa casa, ou melhor, nossas atividades dentro do setor. Espero que esta visita do consulado da Hungria seja o primeiro passo para uma frutífera parceria”.

Ele acrescentou: “Sobre a visita, é importante destacar que ouvir relatos a respeito da operação do Metrô de São Paulo, mesmo estando tão próximo, é sempre entusiasmante e revigorante, pois confirma que o trabalho que fazemos é importante para irrigar a cidade e fazê-la funcionar”.

Dionísio concluiu com estas palavras: “Ter a oportunidade de verificar o desenvolvimento da malha, com a inserção de novas linhas e modos, sobretudo com o acompanhamento de funcionários solícitos e dispostos a ensinar, mostra que temos no Metrô de São Paulo uma empresa de responsabilidade e com visão de futuro.”

Ampliação do intercâmbio. O diretor adjunto Alberto Branco salientou que dentre as possibilidades aventadas para serem amadurecidas oportunamente, está a perspectiva de realização de intercâmbio técnico e documental entre a AEAMESP e o Metrô de Budapeste, assim como a realização de palestra de especialista húngaro durante a 24° Semana de Tecnologia Metroferroviária, programada para o período de 21 a 24 de agosto de 2018, no Campus Vergueiro, da Universidade Paulista (UNIP).

“Com um ano inteiro pela frente e considerando o desenvolvimento da 24°Semana, inauguramos janeiro com a perspectiva de internacionalização da AEAMESP a partir da organização da visita do corpo consular da Hungria ao Metrô. O resultado simbólico deste encontro, como outros que poderão ser suscitados, apoia-se na potencialidade de trilharmos um caminho de cooperação técnico-científico entre os atores envolvidos: indo desde a troca de artigos técnicos e experiências bem sucedidas, até a eventual realização de missões entre os Metrôs de São Paulo e Budapeste.”